Produções

THE WILD FLOWERS

*** BREVEMENTE ***

TITUS

Uma adaptação do clássico Titus Andrónicus, de William Shakespeare, num projecto de Rui Neto e realização de Jorge Albuquerque e Rui Neto.

*** BREVEMENTE ***

BERNARDO's WORLD DOMINATION

Bernardo’s World Domination é um espetáculo-homenagem a Bernardo Santareno, numa ficção sobre a sua vida e obra, no âmbito das comemorações do centenário do seu nascimento. Co-Produção entre RTP e LoboMau Produções.

3GODS

Os deuses começaram a desaparecer, mas Três deles adivinhando o seu fim, esconderam-se no mais remoto canto da terra: um pequeno apartamento em Odivelas, por cima do café Ulisses. Co-produção entre Teatro da Trindade e LoboMau Produções.

O CROCODILO

Rui Neto reescreve o conto KroKodil, de Dostoievski, num espetáculo com música original ao vivo. Co-Produção entre Teatro Municipal São Luiz e LoboMau Produções. 

VÄLUTE

A memória surge difusa em breves fragmentos de lucidez, para logo se dissipar. Um regresso ao Éden. Talvez seja este o lugar da morte. Talvez seja VÄLUTE.

Neptuno

Neptuno regressa a Ossónoba. Tudo mudou. Há o alfa pendular, o moto club, a bica caríssima na esplanada do Hotel, a Horta da Areia que vale mais de 300 milhões e uma mega store da Adidas.

HUIS CLOS - NO EXIT

Três desconhecidos fechados numa sala: é isto a eternidade. De olhos bem abertos, para sempre, entre quatro paredes, onde “o Inferno são os outros”.

 

Trocava a Minha Fama por uma Caneca de Cerveja

Hora de Almoço. Lunch time. No teatro. At the Theater. A comida. The food. E a bebida. And the drinks. E as palavras. And the words. As palavras. The words, always the words.

Mechanical Monsters

MM é uma criação “ego-centrada”, que expõe gostos e pensamentos, pequenos crimes e consciência polítca instantânea, como num confessionário mental de pequenos horrores.

WORMS

Uma viagem entre a natureza e consciência humana, numa voz premonitória sobre o estado das coisas, onde o corpo é o elemento central e a matéria viva.

LUTO

"Unicórnios, Pai Natal e Hamlet, não existem". LUTO é um manifesto. Aprender a esquecer para ser um pouco mais livre: as palavras parecem impossíveis de controlar.